Crise da água: “A situação é alarmante, estamos em perigo. Vai virar calamidade” (SpressoSP)

alckmin-falta-de-agua

 

Funcionário da Sabesp e diretor do Sintaema alerta para a contínua queda dos reservatórios e recomenda, ao governo de São Paulo e Sabesp, medida imediata para tentar evitar o colapso. “Declarar um racionamento que falte água para pobre e rico, ao invés de fazer um rodízio nas periferias”

Por Igor Carvalho

Nesta segunda-feira (24), o Sistema Cantareira amanheceu com 9,4% de sua capacidade. Já são dez dias de quedas sucessivas, que colocam o abastecimento de São Paulo em risco. Anderson Guahy, técnico em gestão da Sabesp e diretor de formação do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema), demonstrou preocupação sobre a crise hídrica paulista e alerta a população.

“A situação é alarmante, estamos em perigo. Vai virar calamidade, se não forem tomadas medidas imediatas pelo alto comando da Sabesp e pelo governo de São Paulo”, alerta o técnico.

Guahy explicou que os constantes cortes no fornecimento de água nas regiões periféricas é de conhecimento da Sabesp e poderia ser evitado. “A Sabesp tem que declarar um racionamento que falte água para pobre e rico, ao invés de fazer um rodízio nas periferias”

Uma previsão para o fim dos recursos hídricos no Cantareira ainda é “precipitado”, explica o técnico da Sabesp. “O nível de utilização vem caindo muito, mas não é o único fator, se fizer muito calor, por exemplo, a água pode evaporar mais rápido.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s