Tratamento à base de tortura (Correio Braziliense)

JC e-mail 4394, de 29 de Novembro de 2011.

Durante vistorias em 68 comunidades terapêuticas espalhadas pelo país, psicólogos encontraram pacientes que são surrados com pedaço de madeira e vítimas de cárcere privado.

Cavar uma cova da dimensão do próprio corpo, escrever reiteradamente o Salmo 119 da Bíblia ou ser surrado com um pedaço de madeira em que está escrita a palavra gratidão são algumas das terapias oferecidas a usuários de drogas em tratamento no país. As violações estão documentadas no relatório da 4ª Inspeção Nacional de Direitos Humanos, uma pesquisa realizada periodicamente pelos conselhos regionais de psicologia sob a coordenação da entidade federal da categoria e com o apoio de parceiros, como o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil. Em todos os 68 locais de internação para tratamento de dependentes químicos visitados, especialmente clínicas e comunidades terapêuticas, houve flagrantes de desrespeito. Entre os problemas mais frequentes estão isolamento, proibição de falar ao telefone com parentes, trabalho não remunerado e punições físicas e psicológicas para atos de desobediência.

As denúncias, que serão levadas à ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, surgem a uma semana do lançamento oficial de um plano de combate às drogas, quando a presidente Dilma Rousseff anunciará a inclusão das comunidades terapêuticas na rede de tratamento, com financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS). “Não nos deram a oportunidade de participar do debate sobre esse plano, ao contrário de outros segmentos da sociedade. A simples possibilidade de financiar tais instituições já representa um retrocesso em tudo o que a reforma antimanicomial conquistou”, disse Clara Goldmann, vice-presidente do Conselho Federal de Psicologia. Ao destacar que encaminhará o documento à ministra, o ouvidor Nacional dos Direitos Humanos, Domingos Sávio Dresch da Silveira, destacou as medidas cabíveis. “Vou conhecer o relatório e, havendo indícios de violações, caberá um procedimento coletivo de apuração”, disse.

Casos de locais já investigados pelo Ministério Público, como a Casa de Recuperação Valentes de Gideão, em Simões Filhos, na Bahia, apresentaram problemas graves, como espaços inadequados e até exorcismo para tratar crises de abstinência. “É assustador que o clamor por tratamento silencie até mesmo a voz de autoridades que já foram notificadas, quatro anos atrás, sobre o tratamento desumano. Não estou dizendo que todas as comunidades terapêutica têm esse padrão, mas assusta ver a Valentes de Gideão aberta”, destaca Marcus Vinícius de Oliveira, integrante da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial.

Para o diretor da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract), Maurício Landre, a amostra considerada pelo relatório é tendenciosa e não representa o universo das instituições. Ele também questiona a competência dos conselhos regionais de psicologia para fazerem inspeções. “É lamentável que uma classe tão conceituada, com profissionais que realizam trabalhos extraordinários dentro de comunidades terapêuticas, faça denúncias tão irresponsáveis”, afirma. “Existe comunidade terapêutica, clínica e até hospital que deve ser fechado? Existe. Mas não se trata de todos. Vamos ajudar na capacitação, vamos trabalhar em vez de ficar reclamando”, afirma. Segundo o dirigente, a real intenção com os ataques é financeira. “Tem a ideologia e também o capitalismo. Tratar em comunidade é mais barato do que ficar fazendo redução de dano, que eles defendem.”

Ligações monitoradas – O tema escolhido para a inspeção deste ano foi álcool e drogas. Só não foram feitas visitas em Amapá e Tocantins. No DF, a única instituição que participou foi a Fazendo do Senhor Jesus, em Brazlândia. O monitoramento de ligações dos familiares, bem como de visitas, é um ponto criticado no relatório. A violação das correspondências trocadas pelos pacientes também foi destacada no documento. Além disso, há relato de um homicídio e de uma denúncia por cárcere privado.

Anúncios

2 comentários em “Tratamento à base de tortura (Correio Braziliense)

  1. A JUSTIÇA É DIFERENTE PARA DIFERENTES PESSOAS, O MEU FILHO TAMBEM UM BRASILEIRO, FOI SEVERAMENTE TORTURADO NA CLINICA LIONS ( ELSHADAI) QUE JA VEM SENDO DENUNCIADA POR TORTURAS, MORTES E SUICIDAM INTERNOS, MEU FILHO ESTA MAU, PROBLEMAS PSIQUIATRICOS, PSICOLOGICOS, TRAUMAS, DEPRESSÃO, CHORA FACIL., MAL SAI DA CAMA, NEM SAI DE CASA, E AI JA CANSEI DE DENUNCIAR E RECORRER AOS ORGÃOS DO GOVERNO, EU ME SINTO UM JOÃO BOBO, ME MANDAM PARA ANVISA, A ANVISA PROS DIREITOS HUMANOS, OS DIREITOS HUMANOS PRA SECRETARIA DA SAUDE MENTAL E ASSIM VAI E NÃO ACONTECE NADA, EU NÃO TENHO DINHEIRO PARA O TRATAMENTO DO MEU FILHO, A CLINICA ELSHADAI ASSASSINA MUDOU DE NOME PARA LIONS E CONTINUA A FUNCIONAR NORMALMENTE,O DONO DESSA CLINICA O CARRASCO DA CLINICA ELSHADAI GUSTAVO RODRIGUES LIMA CRT 46284, AGORA TEM UM MONTE DE CLINICAS INCLUSIVE A NEW DAY EM BRAGANÇA PAULISTA, EMAIL DO CARRASCO: gustavo_calcados@hotmail.com
    Telefone do carrasco: 11 77054144, JUSTIÇA SÓ A DIVINA.

  2. CLINICA ELSHADAI EU ESTIVE LA E VI COLEGA MEU LEVANDO CHOQUE A NOITE INTEIRA TRISTEZA FELISMENTE CONSEGUI ESCAPAR GUSTAVO R.LIMA CRT46284 E DOUTORA ITA OS DONOS DE LA SO QUEREM O DINHEIRO DA FAMILIA A PSCICOLOGA ATE TENTAVA NOS AJUDAR MAS NÃO PODEIA FAZER NADA TAMBEM ATE QUE ALGUEM CHEGASSE A ESSE PONTO ELES DOPAM AOS INTERNOS A COMIDA É POUCA EM RELAÇÃO AO QUE CADA INTERNO PAGA CHEGAMOS ATE A FICAR COM FOME
    É VERDADE EU ESTAVA LA NESTA EPOCA E LEMBRO QUANDO A SENHORA FOI LA SEU FILHO ACHO QUE É PATRIQUE ENTREOUTROS TAMBEM SOFRERAM OS MESMOS TRATAMENTOS E OLHA QUE EXISTIAM TRATAMENTOS PIORES ELES ESCONDEM OS MENORES DE IDADE E OS MAIS VELHOS QUASE TODOS OS INTERNOS SÃO MESICADOS A REMÉDIOS PARA DORMIR
    O GUSTAVO HOJE TEM UM MONTE DE CLINICAS INCLUSIVE A NEW DAY, E NÃO FOI PUNIDO PELOS CRIMES QUE COMETEU

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s