O manguezal avança (Fapesp)

01.07.2014

O manguezal da Reserva Biológica de Guaratiba, no Rio de Janeiro, parece estar em migração continente adentro. O movimento é uma resposta à elevação no nível do mar, que pesquisadores do Núcleo de Estudos do Manguezal (Nema), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), atribuem a mudanças globais no clima.

O oceanógrafo Gustavo Duque Estrada, do Nema, foi a campo com a equipe de vídeo de Pesquisa FAPESP para mostrar como o grupo vem monitorando essa floresta costeira desde os anos 1990. Na universidade, o coordenador do grupo, Mário Soares, explica o significado dos resultados de pesquisa para entender os manguezais, suas respostas às mudanças ambientais e sua influência sobre o ambiente, incluindo por meio da capacidade de armazenar carbono. “Áreas que antes eram planícies hipersalinas, lá no início da década de 1990, hoje já são florestas de mangue”, conta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s